" />

Ferdinand Hodler – o expressionismo suíço

Citado como um dos mais populares pintores suíços do século XIX, Ferdinand Hodler foi um dos artistas europeus precursores do expressionismo. Sua arte, considerada como porta de entrada para o modernismo europeu, concentrou-se em paisagens, retratos e pinturas de gênero com um destacado estilo realista.

Hodler nasceu em 14 de março de 1853, na cidade de Berna, na Suíça. Era o mais velho de seis irmãos e seu pai era um humilde carpinteiro. O contato de Hodler com a arte se deu após a morte de seu pai, quando ele ainda era criança. Sua mãe casou-se com um pintor decorativo e não demorou a que Hodler ajudasse o padrasto com a pintura de placas e outros projetos comerciais. Após a morte da mãe de Hodler, o jovem foi para cidade de Thun ser aprendiz do pintor Ferdinand Sommer, um artista que se dedicava à pintura de paisagens, especialmente de montanhas, e eram usadas para fins turísticos.

Aos 18 anos, contudo, Hodler partiu para Genebra, cidade que era considerada o centro artístico da Suíça, em busca de melhores condições e desenvolvimento de sua arte. Chamou então a atenção de Barthélemy Menn, pintor e desenhista. Menn foi um dos primeiros em seu país a se dedicar a pintura ao ar livre, característica que influenciou os primeiros trabalhos de Hodler que eram basicamente compostos por paisagens e retratados trabalhados com intenso realismo.

Outra característica da obra de Ferdinand Hodler foi a criação do paralelismo, estilo que desenvolveu após ser influenciado pelo simbolismo e art nouveau. Esta nova técnica propunha o uso simétrico dos elementos da pintura, uma vez que o artista suíço acreditava que a simetria era a base da sociedade humana.

O expressionismo só foi incorporado realmente ao trabalho do pintor a partir de 1900, momento em que ele  passou a utilizar figuras geométricas e cores mais intensas nas suas produções. Também compôs obras em grande escala com temas patrióticos que causavam bastante admiração.

Entre as principais obras de Ferdinand Hodler destacam-se Noite (1889-1890), Cansado da Vida (1892), O Sapateiro (1878) e o Lenhador (1910). Retratou também o tema Morte, em seus quadros, interesse que surgiu após estudar as obras de Hans Holbein, em especial o quadro Cristo Morto no Túmulo. Explorando esse tema, Hodler criou uma série de pinturas em que retrata os momentos finais de uma de suas companheiras: Valentine Godé-Darel, que morreu vitima de câncer.

Apesar de ter encontrado a sua catarse ao pintar o declínio de sua amada, Hodler ficou profundamente abalado com a morte dela em 1913. O artista suíço faleceu dois anos depois, em decorrência de um edema pulmonar.


Acesse a galeria para admirar mais a obra de Ferdinand Hodler no Pinterest: https://br.pinterest.com/thaisslaski/arte-mat%C3%A9rias-do-site/ferdinand-hodler/


Crédito Imagens:
https://www.wikiart.org/pt/ferdinand-hodler


Compartilhe com seus amigos